Faça você mesmo: desenhe a planta da sua casa!

Se você está afim de fazer algo diferente no seu tempo de lazer e de quebra contribuir para a melhoria do seu Lar, a gente preparou um desafio. Que tal desenhar a planta baixa do ambiente que você sonha em transformar?

Na atividade a seguir, você vai aprender em apenas seis passos como desenhar uma planta baixa integrada a elementos de elétrica e hidráulica, criando uma compacta, mas também poderosa ferramenta de planejamento para a reforma do seu Lar.

 

Benefícios da atividade

Desenhar a planta de um ambiente é um grande passo para o início do planejamento de uma reforma. Com ela, você vai conseguir pensar em melhores soluções para o seu espaço, tanto do ponto de vista funcional quanto estético.

 

Mas não só sua casa sai ganhando com essa atividade. Desenhar a planta baixa de um ambiente pode trazer benefícios imediatos, como os que seguem abaixo:

 

Passa tempo

Dependendo da complexidade do cômodo, a atividade pode ser concluída entre 30 e 60 minutos e pode funcionar como um momento de lazer. Ela pode ser realizada por uma única pessoa ou em grupo, estimulando a interação. Ainda, o exercício mantém a mente das pessoas envolvidas longe da tecnologia – um respiro nos tempos atuais.

 

Relaxante

Em sua maioria, trabalhos manuais são terapêuticos. Eles nos dão a sensação de relaxamento e de prazer, durante e depois de sua elaboração – e isso vale para esta atividade. Enquanto você trabalha, o seu cérebro te ajuda a pensar em soluções mais criativas para os problemas que vão surgindo, estejam eles diretamente relacionados com a atividade ou não.

 

Educativa

Se você estiver com a criançada, essa é uma ótima oportunidade para reforçar conhecimentos em matemática básica, já que a atividade trabalha com dimensões, planos, figuras geométricas e utiliza contas operacionais simples, de somar e subtrair, que você pode fazer manualmente ou com a ajuda de uma calculadora.

 

Desafiadora

Os benefícios não se encerram com a finalização do desenho da sua planta baixa. Pelo contrário: quando estiver com ela em mãos, você vai poder exercitar a sua criatividade com propostas de modificação do ambiente. Isso exige que o seu cérebro pense um pouco fora da caixa, o que é bastante saudável.

Planta baixa de quarto projetado pela RemodeLar.

Além de ser uma excelente ferramenta para ajudar no planejamento da reforma, a atividade traz diversos benefícios para a saúde | Foto: Unsplash

Desenhando sua planta em seis passos simples

Para exemplificar como deve ser o processo de elaboração da planta baixa do seu ambiente, vamos desenhar a planta de uma cozinha americana.

 

 

Você vai precisar de uma trena, de um papel de cor clara e sem pautas (nossa sugestão é usar uma folha de impressora comum, tamanho a4), de canetas coloridas e de uma régua. 

Pronta(o) para começar? Então, mãos à obra!

Passo 01: Escolha o ambiente que você quer transformar e desenhe o formato dele no papel. Neste exemplo, estamos desenhando o formato de uma cozinha americana, onde a menor parede representa a bancada.

 

Planta baixa de quarto projetado pela RemodeLar.

Passo 02: Depois, marque os ambientes vizinhos do cômodo que você está desenhando. Isso é importante para pensar intervenções no ambiente considerando a integração com os outros espaços da casa. Você não vai querer uma cozinha cujo estilo “não conversa” com os ambientes vizinhos, não é mesmo?

 

Planta baixa de quarto projetado pela RemodeLar.

Passo 03: Agora, desenhe portas e janelas do ambiente. Utilize uma outra cor para isso. Observe no desenho abaixo que o arco da porta sinaliza o caminho que ela faz ao ser aberta. Ou seja, no exemplo abaixo, a porta abre da da direita para a esquerda.

 

Planta baixa de quarto projetado pela RemodeLar.

 

Passo 04: Chegou a hora de pegar sua trena! Destaque as medidas totais das paredes, portas e janelas em centímetros (cm) e metros (m). É importante medir a largura das portas e janelas e a distância entre elas e a parede, como mostra o exemplo. Também não esqueça de medir a altura (h) das portas e janelas, o peitoril (p) das janelas, bem como o pé direito (p.d) do cômodo.

 

Planta baixa de quarto projetado pela RemodeLar.

 

Dica: Você pode tirar as medidas com uma trena, com uma fita métrica ou tomando um metro como referência, desde que  realize o procedimento sem distorcer a medição. Para evitar isso, siga as instruções:

 

  • Ao medir, sempre apoie a ferramenta escolhida na parede e de forma paralela ao chão, sem que ela fique torta
  • Caso utilize fita métrica, é preciso esticá-la bem
  • Se não conseguir medir algo de uma vez só, faça por partes. Marque o final de onde parou a última medição e continue até medir tudo
 

Passo 05: Utilizando uma caneta de outra cor, chegou a vez de marcar todos os interruptores, tomadas, pontos de luz, de água, entre outras informações do ambiente. Os símbolos de cada elemento estão na legenda abaixo. Você também deve medir a altura dos interruptores em relação ao chão e a distância deles para o fim das paredes em que estão instalados.

 

Planta baixa de quarto projetado pela RemodeLar.
Planta baixa de quarto projetado pela RemodeLar.

Passo 06: Por fim, chegou a hora de indicar os móveis do ambiente. Desenhe suas formas e anote suas dimensões (largura, altura e profundidade). Prefira utilizar uma cor diferente das anteriores.

 

Você pode fazer isto na mesma folha ou em outra, caso você sinta que o desenho atual já possui muita informação ou mesmo caso não tenha sobrado espaço na folha atual. Se optar por esta opção, refaça o formado das paredes antes de desenhar os móveis (não é necessário repetir as medidas das paredes, pois já estão na outra folha).

 

Desenhar os móveis numa folha permite que você modifique a posição deles sem interferir no papel anterior, em que estão indicadas as estruturas fixas (paredes, tomadas, torneiras, etc). Além de maior liberdade para dispor os móveis no desenho, você preserva o papel original de rasuras e borrões.

 

Planta baixa de quarto projetado pela RemodeLar.

Fim! Sua planta está pronta e deve se parecer com o exemplo acima.

 

E agora?

Chegou a hora de utilizar a planta baixa que você criou para pensar a transformação que você quer para o ambiente representado. Explore esta ferramenta! 

 

Mude a posição dos móveis considerando as tomadas e o fluxo de pessoas pelo cômodo, repense a abertura de portas e janelas conforme a posição do vento e do Sol, avalie a integração com os ambientes vizinhos… As possibilidades são muitas!

 

 

Dica: Não perca sua planta! Quando a versão definitiva estiver pronta, tire uma foto, escaneie o desenho, faça uma cópia, enfim… Guarde a sua planta em um local seguro. Ela será muito útil no futuro se você desejar continuar o planejamento da sua reforma de maneira segura e eficaz.

 

Deixe seu comentário aqui!

Atenção: Os comentários abaixo são de inteira responsabilidade de seus respectivos autores
e não representam, necessariamente, a opinião da RemodeLar.

One Comment

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Visit Us On InstagramVisit Us On FacebookVisit Us On LinkedinVisit Us On Youtube