O que é uma planta baixa e qual seu uso na reforma

Imagina se você tivesse o poder de alterar a realidade a sua volta quantas vezes quisesse e sem causar nenhum dano ou custo. Imaginou? Pois este é o superpoder que uma planta baixa te entrega! Neste artigo, você vai entender por que esta ferramenta é indispensável na etapa de planejamento da transformação do seu Lar, quais seus tipos e quando você pode ou não optar por utilizá-la na sua reforma.

O que é uma planta baixa?

Uma planta baixa é o desenho de uma edificação em sua vista superior e em escalaDe forma simplificada, é como se você tivesse flutuando sobre o ambiente retratado no desenho e, assim, vendo tudo de cima!

 

Muito utilizada na arquitetura e na decoração, a planta baixa permite colocar as ideias no papel sem precisar intervir no espaço físico, aumentando as chances de sucesso na etapa de execução da reforma ou da construção. Apesar de fazer parte do dia a dia de profissionais destas áreas, qualquer pessoa pode fazer uma versão simplificada, mas muito eficaz da planta baixa de um ambiente.

 

A planta baixa pode representar desde um cômodo do seu Lar até um edifício inteiro. Ela serve de apoio para projetos complementares, como o de hidráulica, que indica posição de tubulações de água da edificação; o de elétrica, que trabalha eletricidade; e o estrutural, que descreve questões de estrutura do ambiente.

 

Por todas essas funcionalidades e por sua precisão, uma das funções mais incríveis da planta baixa é que ela permite o desenvolvimento de projetos de reforma e de decoração a distância e totalmente online, como os elaborados pela RemodeLar.

 

 

Tipos de planta baixa

Uma planta baixa deve ser capaz de representar paredes, portas, janelas e outras estruturas fixas do ambiente. Existem dois principais tipos de planta baixa:


Planta baixa técnica – como o nome já diz, possui muitos detalhamentos técnicos, representados em linhas de diferentes espessuras e cores e em uma infinitude de hachuras (os riscos, como os que simulam a textura da cadeira na imagem abaixo). É o tipo ideal para fazer as alterações no ambiente, como pensar fluxo de circulação de pessoas, posicionamento e dimensionamento de móveis, ventilação, entre outras.

Planta baixa de quarto projetado pela RemodeLar.

Planta baixa de quarto projetado pela RemodeLar. 

Planta humanizada – é muito mais visual, contendo detalhamentos como cores, materiais, texturas, revestimentos e outros. Podemos dizer que ela é resultado da planta baixa técnica, servindo como uma amostra mais real, pois nos ajudam a visualizar como o ambiente vai ficar após reformado.

Planta humanizada de quarto projetado pela RemodeLar. No desenho, é possível ver cores e ter noção da textura de móveis e objetos.

Planta humanizada de quarto projetado pela RemodeLar. Repare que é possível ver cores e ter noção da textura de móveis e objetos.

Um outro tipo de planta baixa é a planta humanizada 3D, que é uma evolução tecnológica da planta humanizada. Ela retrata de forma ainda mais realista o espaço, incluindo seus móveis e objetos, as texturas deles e outros elementos, tudo numa perspectiva tridimensional.

Planta humanizada 3D de quarto projetado pela RemodeLar

Planta humanizada 3D do quarto anterior. Neste tipo de planta, o efeito visual é intensificado e os objetos ganham mais profundidade.

Planta baixa e reformas

A planta baixa pode ter relação direta com reformas. Quando um imóvel passa por muitas modificações ao longo do tempo, pode acabar “escondendo” informações importantes que só são reveladas com uma planta baixa e por seus projetos complementares, e isso pode ser um problema.

 

Um caso bastante comum que ilustra um dos transtornos da situação é quando a reforma acontece “às cegas”, sem o auxílio da planta e dos projetos de elétrica, hidráulica e executivo. Sem os documentos, os profissionais não estão cem por cento seguros quanto à localização de tubulações e de pontos de eletricidade, podendo perfurará-los sem querer e causar vazamentos, danos às instalações elétricas ou até acidentes.

 

Por isso, é importante que o documento seja guardado em um local seguro para ser utilizado no futuro  você pode guardá-lo junto à escritura da sua casa, por exemplo. Caso o imóvel seja vendido, sempre que possível a planta deve ser repassada aos novos proprietários, que provavelmente realizarão intervenções.

 

Preciso de uma planta baixa para a minha reforma?

Agora que você já sabe o que é uma planta baixa, quais seus tipos e sua relação com reformas, é importante saber que nem toda intervenção necessita de uma planta. Em intervenções menores, como as que não resultam em “quebradeira” (a pintura de paredes e o reposicionamento de móveis, por exemplo), a planta é um elemento secundário.

 

Mas se você quiser obter resultados excelentes, é recomendável contar com os benefícios de uma. Por integrar o projeto de planejamento da reforma, ela auxilia na visualização do espaço, evitando retrabalhos e frustração. Neste aspecto, a planta auxilia a decoração.

 

Além disso, saber as medidas corretas do ambiente evita erros e desperdícios. Você não quer passar ao marceneiro uma medida errada e receber um móvel maior que o comportado pelo ambiente, não é mesmo?

 

Deixe seu comentário aqui!

Atenção: Os comentários abaixo são de inteira responsabilidade de seus respectivos autores
e não representam, necessariamente, a opinião da RemodeLar.

One Comment

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Visit Us On InstagramVisit Us On FacebookVisit Us On LinkedinVisit Us On Youtube